Foto via @anastasiafrost

Os medidores de humidade que se colocam no substrato das plantas têm utilidade? Devo ou não usar para saber se as minhas plantas precisam de ser regadas?

Na Generosa a nossa resposta é: NÃO. Vamos explicar-te o nosso ponto de vista.


 

Saber se está na altura de regar as tuas plantas, ou a quantidade de água de que precisam, pode parecer uma tarefa difícil e só acessível a quem já tem dedo verde. À partida, um medidor de humidade do solo pode parecer um bom aliado para quem ainda não tem muita experiência a cuidar de plantas. Mas cuidado! Há vários perigos à espreita quando usas um aparelho destes. Vamos dar-te algumas luzes para que possas tomar uma decisão mais informada. Convidamos-te a continuar a ler.

 

1. PARA QUE SERVEM OS MEDIDORES DE HUMIDADE?

É importante perceberes, em primeiro lugar, o funcionamento destes aparelhos. Um medidor de humidade, na verdade, não mede a quantidade de água que existe numa determinada altura no substrato da tua planta. Mede sim, a condutividade eléctrica entre dois tipos de metal na ponta da sua sonda. Como a água é um bom condutor, se o substrato estiver molhado, a condutividade eléctrica será maior e o medidor indicará que o substrato está “molhado”. Se o substrato estiver seco, haverá menos condutividade eléctrica e o medidor indicará que o substrato está “seco”.

Até agora, tudo OK. Mas e se as condições de condutividade eléctrica se alterarem, independentemente da quantidade de água presente? Por exemplo, se o substrato for muito leve e arejado (como uma mistura casca de pinheiro para orquídeas) ou muito denso e pesado, os resultados serão diferentes. Por outro lado, se a água que usas para regar as tuas plantas for muito dura, com níveis elevados de sais minerais, a condutividade eléctrica aumenta, levando a leituras de humidade (erradamente) elevadas mesmo quando o substrato estiver claramente seco.

Os sais minerais podem também advir de fertilizantes que utilizas nas tuas plantas e ao acumularem-se no substrato ao longo do tempo, irão alterar a condutividade eléctrica do substrato, levando, gradualmente, a leituras cada vez menos precisas.

Adicionalmente, a presença destes sais no substrato podem penetrar lentamente na sonda do aparelho, ou podem começar a enferrujar e, novamente, ambas as situações podem levar a resultados imprecisos.

 

2. NÃO CONFIES OS TEUS INSTINTOS A UM APARELHO

Entrar no mundo das plantas é uma oportunidade para aproveitares o que de bom a natureza nos dá. Está provado que estar em contacto com o meio natural e cuidar dele, faz-nos sentir bem. Aproveita o momento de cuidares das tuas plantas para cuidares de ti.

Na Generosa sempre advogámos o benefício deste momento para a nossa saúde e bem-estar. Grande parte do sucesso no cuidar de plantas passa por estabelecermos uma relação com cada uma delas. Observar o seu crescimento, sentir a textura das suas folhas, … Usar um aparelho para medir a humidade no substrato das plantas, afasta o nosso pensamento delas. Elas deixam de estar nas nossas preocupações. E tal irá, com grande probabilidade, levar a que nos esqueçamos delas. Se o medidor diz que não é preciso regar, instintivamente aceitamos a medição que o aparelho nos dá e não nos damos ao trabalho de olhar para ela e sentir a frescura (ou secura) do seu substrato.

Então, como devemos medir a humidade no substrato das nossas plantas?

 

3. USA O DEDÓMETRO!

Queres melhor aparelho que o teu próprio dedo?! Nunca se estraga, nunca se engana e surpresa: é gratuito! Não pagas nada por ele.

As instruções de utilização são muito simples: estica o teu dedo indicador e introduz em todas as plantas da tua casa (até ao segundo nó do dedo). Sente o substrato para perceberes se está húmido (o dedo vem sujo), ou se está seco.

 

 

Para saberes mais sobre como regar, vê o nosso artigo “Como não ser um “plant serial killer”, ou o nosso vídeo:

 

4. O NOSSO VEREDICTO

Quer porque achamos que cuidar de plantas faz bem à tua saúde, quer porque estes medidores podem levar a leituras erradas, o nosso veredicto é: deixa lá isso! Aproveita o dinheiro que ias gastas no aparelho para comprar mais uma planta para a tua colecção.

Usa o teu instinto para avaliar o teor de humidade. Sente o substrato, observa a mudança de cor, pega no vaso para avaliares o seu peso (à medida que perde humidade o vaso vai ficando mais leve). Com o tempo, vais ver que vais ganhando sensibilidade e conhecendo melhor as tuas plantas e suas necessidades. Bem-vinda à “planternidade”!