Neste artigo da série de entrevistas “Criadores por trás das peças”, ouvimos a história da Carolina Andrade e do Duarte Galo, fundadores da SIGILO CERAMICS, que podes conhecer no Instagram como @sigilo.ceramics


Carolina e Duarte, falem-nos um pouco do vosso negócio. Quando o começou e porquê?

A Sigilo nasceu no começo de 2019. Na altura trabalhávamos nos nossos projetos individuais, e em simultâneo um trabalhava numa fábrica de cerâmica e o outro numa empresa de design de produto e ambientes. Destes dois mundos nasceu a vontade de criar peças em cerâmica com a nossa visão.

Como é serem empreendedores, tendo o vosso próprio negócio? Quais são os prós e os contras?

Sermos empreendedores é termos a possibilidade de gerir passo a passo algo que é nosso, explorar novos métodos de criação e produção. Em contrapartida, sofremos diretamente com as exigências do mercado. A nosso ver, os dois maiores contras são: a capacidade económica exigida para iniciar novos projectos e trabalharmos num país de pequena escala, com reduzido poder de compra.

A natureza tem alguma influência na vossa criatividade e nas vossas peças?

Completamente. Estamos muito ligados à natureza, o que conscientemente ou inconscientemente acaba por influenciar a nossa atmosfera criativa. Basta pensar sobre a matéria com que trabalhamos, utilizamos argila para moldar as nossas ideias.

Têm alguma planta associada à vossa infância? Quais são as vossas primeiras memórias com plantas?

Ambos temos as nossas primeiras memórias associadas a flores e às nossas mães, desde passeios em campos de papoilas a visitas a estufas, mas foi com a idade que cresceu a nossa preferência por plantas.

Têm alguma planta preferida?

Uma não, várias! A Strelitzia Augusta, Ficus lyrata, Monstera deliciosa, Pilea peperomioides, Begonia maculata, Calatheas…

Gostávamos de vos pedir que escolham uma planta da nossa loja online. Porque escolheram essa planta?

A Mona, porque foi a primeira planta a ser desenhada e fotografada na concretização do nosso projeto.